Relatórios

4º Tri de 2023

O ano de 2023 não foi bem o que o mercado esperava ao final de 2022. O que estava precificado era um ano de recessão para a economia americana, marcado pela queda do consumo diante de um aperto da política monetária. O que observamos foi um consumidor mais resiliente do que se esperava, uma escalada de juros controlada e gradual e um mercado de ações que registrou alta no ano depois de um 2022 difícil para ações globais. A Berkshire Hathaway contribuiu significativamente para a nossa performance, especialmente na janela de 2022-2023. Investimos na empresa desde 2001 e hoje é a maior posição dos fundos. Diante do falecimento de Charlie Munger, achamos cabível dedicar nosso último relatório do ano à...

3º Tri de 2023

O cenário de liquidez e juros mais desafiador que vem se desenhando no último ano – que está mais em linha com o comportamento histórico do mercado – testa, não só o apetite de risco dos investidores, como as decisões de alocação de capital por parte das empresas. E dessa combinação surgem trajetórias diferentes para os preços das ações. Ao longo do terceiro trimestre, zeramos uma posição, iniciamos outra e aumentamos consideravelmente a exposição a dois nomes que já estavam na carteira mas cujo upside ficou mais interessante..

2º Tri de 2023

Nossos fundos fecharam o 1° semestre recuperando praticamente toda a queda em dólares de 2022. O fundo Nextep Global Equities FIA IE subiu +16,6% (em dólares), versus uma queda de -17,7% em 2022, equivalente a um alpha de +300bps versus o MSCI World nesta difícil e volátil janela de 18 meses. Já nosso fundo BDR, Nextep Global Equities PG, subiu 15,5% em dólares, no mesmo período, superando também seu benchmark. Neste relatório, escolhemos falar de uma empresa que é parte importante do nosso portfólio: a varejista norte-americana Williams Sonoma. Na primeira seção, discutimos o modelo de negócios e suas características. Na segunda, aspectos de governança corporativa. A página final resume nossa tese de investimento.

1º Tri de 2023

Os fundos da Nextep começaram o ano com uma boa performance. O fundo NEXTEP Global Equities FIA teve um retorno de 5,55% no trimestre em reais (9,93% em dólar, versus 7,3% do MSCI World), enquanto o fundo NEXTEP Global Equities PG FIC FIA - BDR Nível I acumulou rentabilidade de 5,12% (9,48% em dólar). Na seção de portfólio, falamos brevemente sobre GE, maior responsável pela boa performance do fundo no ano. Investimos no turnaround da empresa quando o atual CEO Larry Culp assumiu o comando do conglomerado. Além disso, discutimos a contabilização de share based compensation (SBC) nas demonstrações financeiras das empresas, seu impacto no valuation e seu uso como incentivo para funcionários e executivos.

4º Tri de 2022

O ano de 2022 quebrou uma trajetória de alta praticamente ininterrupta do mercado de ações americano, que durou 14 anos se desconsiderarmos a breve queda decorrente da pandemia. De um ponto de vista micro, o ano testou a resiliência de modelos de negócio e foi marcado por uma alta inflação que atingiu níveis não vistos desde os anos 80. À luz de um ambiente conturbado, o valor de uma gestão ativa se faz ainda mais evidente e relevante. Destacamos neste relatório nossas principais decisões de investimento ao longo deste ano.

3º Tri de 2022

Ao analisar uma empresa, é fundamental que a alocação de capital empregada receba a sua merecida atenção. O direcionamento de recursos se caracteriza como crucial, apresentando um dilema ao CFO: reinvestir o caixa gerado ou distribuir aos acionistas? Sem a pretensão de esgotar o tema, colocamos ênfase, neste relatório, na distribuição via recompra de ações, considerando as mudanças incutidas pelo Inflation Reduction Act, sancionado pelo presidente Biden em agosto.

2º Tri de 2022

Nesse relatório, discutimos a conjuntura global de alta inflação, expectativa de aumento de juros, disrupção das cadeias de suprimentos e possibilidade de recessão que vem dominando o mercado de ações durante a primeira parte do ano. Em seguida, discutimos nossa estratégia para lidar com esse quadro e como a nossa forma de investir nos permite aproveitar o momento de queda para fortalecer o portfólio para os próximos anos.

1º Tri de 2022

Nesse relatório, discutimos as mudanças que o mercado de anúncios digitais vem enfrentando. A capacidade de atribuir campanhas de marketing a usuários específicos, tão necessária à personalização de anúncios, está em risco devido às novas regras de privacidade impostas. Deve haver uma perda de eficiência na conversão de campanhas, com repercussões negativas sobre os preços de anúncios. O impacto disso deve se manifestar de forma heterogênea sobre os players do setor – como Google, Facebook e Amazon. Aqui, discutimos o novo panorama do segmento e debatemos seus possíveis efeitos sobre essas empresas.

4º Tri de 2021

Em 2021 completamos 20 anos gerindo fundos de ações globais. E fomos a primeira gestora brasileira a fazê-lo. Nesse relatório contamos um pouco dessa história e ainda, refletindo sobre essas duas décadas de investimentos globais, abordamos um dos maiores cases de sucesso que tivemos e um dos erros mais marcantes na nossa trajetória.

3º Tri de 2021

Nesse relatório exploramos um dos pilares de nossa posição em Google: o potencial de crescimento do Youtube. A plataforma, como explicaremos, tem enorme potencial de crescimento de receitas através do aumento da monetização por usuário.