Artigos

Adobe: ascensão e queda

Dona de um ótimo modelo de negócios, uma boa gestão, pouco endividada, forte geradora de caixa. Depois da queda da ação do ano passada para cá, a Adobe deve ficar no radar de investidores de longo prazo? Por Roberto Vinhaes e Maria Antonia Viuge

Garry Kasparov e IBM Deep Blue: Um marco para a inteligência artificial

Há quase 25 anos, em 1997, a lenda do xadrez Garry Kasparov enfrentava um adversário insólito, o IBM Deep Blue, computador planejado pela IBM para desempenhar exclusivamente o papel de um enxadrista. Kasparov, na época, com 35 anos, carregava o título de jogador mais jovem a ser campeão mundial de xadrez, feito alcançado aos 22 anos de idade. O projeto do IBM Deep Blue se originou no embalo da discussão “homem versus máquina”, quando Feng-hsiung Hsu, estudante de doutorado da Carnegie Mellon, idealizou um computador designado para jogar xadrez. Em 1989, Hsu e alguns parceiros do projeto foram contratados pela IBM e logo integrados à equipe encarregada de desenvolver um supercomputador capaz de jogar com maestria. Em 1996, o IBM Deep...

ANDROID: A grande pequena aposta do Google

Em 2004, um dos fundadores do Google, Larry Page, na carta direcionada aos acionistas interessados no IPO da companhia, intitulada “An Owner’s Manual for Google’s Shareholders”, sintetizou em uma frase a postura do agora titã do setor de tecnologia em relação a possíveis aquisições: “We will not hesitate to place major bets on promising new opportunities”. Olhando para trás, parece que oportunidades não faltaram e tampouco a companhia hesitou em aproveitá-las: de 2001 a 2021, o Google - ou, então, a Alphabet, holding criada em 2015 para reorganizar os negócios - fez mais de 260 aquisições. Em meio a tantas operações de M&A, a compra do Android, módico diante das iniciativas já desenvolvidas pela Microsoft, merece destaque. Logo após o IPO,...

Yeezy, o tênis que leva as pessoas à loucura

A preferência por casual wear ganhou um impulso inesperado com a difusão do modelo de trabalho remoto imposto pela pandemia. O sapato social deu espaço ao tênis, e o terno à camiseta. Apesar da aceleração, não há nada de inédito nesta tendência. Suas origens remontam à década passada, quando o uso de calças de yoga da marca de roupas Lululemon transcendeu a prática do exercício físico e ganhou espaço em situações sociais cotidianas. Surgia, então, o "athleisure" -- combinação das palavras em inglês athletic (atlético) e leisure (lazer). O protagonismo desse movimento fashion coube aos sneakers, um mercado que movimentou por volta de 70 bilhões de dólares globalmente no ano de 20201. Seu uso é cada vez mais amplamente aceito...

RISE: O próximo destino da aviação comercial

Em junho, a GE Aviation em conjunto com a Safran, fabricante francesa de equipamentos aeroespaciais, revelou o mais novo projeto a ser desenvolvido em conjunto pelas duas:turbinas híbridas-elétricas. Sob o nome de RISE, acrônimo para Revolutionary Innovation for Sustainable Engines, o programa pretende desenvolver um modelo de turbina com arquitetura aberta, elementos híbridos e a capacidade de usar combustíveis sustentáveis, como hidrogênio. A parceria entre as duas não é de hoje. Em 1974, GE e Safran constituíram a CFM International, joint venture com participação igualitária entre elas, com o objetivo de produzir turbinas para aeronaves comerciais. Desde então, a parceria tem sido um sucesso - com mais de 35 mil turbinas entregues -, tanto que a duração da joint venture...

CHURN: a oitava maravilha do mundo do streaming, ao avesso.

“Os juros compostos são a oitava maravilha do mundo”. A autoria da citação é incerta, mas as maravilhas que a capitalização composta é capaz de produzir, não. E quando essa mesma força poderosa atua no sentido contrário, contraindo, em ritmo exponencial, o valor de uma variável? É isso que o churn -- a taxa de evasão de assinantes -- é capaz de provocar. Pequenas variações em seu valor geram distorções dramáticas nas receitas acumuladas ao longo da vida útil de um usuário. Suponha duas companhias de video streaming iguais, cuja única diferença são suas taxas de churn. A primeira delas, a Companhia X, perde 5% de sua base de clientes anualmente. A Companhia Y, por sua vez, tem uma taxa...